30/06/2008

A minha participação no Improviso





Improviso


Este ano para mim, foi o melhor a nível de teatro!Entrei para o grupo na onda de mudar de grupo de teatro, ansiosa para saber o que me esperava e encontrei uma professora maravilhosa, exigente e teimosa, e o melhor grupo de teatro que alguma vez tive, unido, divertido e amigo!
Num ano de mudanças, de crescimento e de decisões encontrei o que precisava neste teatro. No inicio parecia tudo muito bonito, tínhamos conversas sobre vários assuntos: sexo, adolescentes, namoros, como seria a vida de um cego, sobre direitos humanos, etc. Tivemos várias propostas, até nos chegar o verdadeiro trabalho “O Gato de Hamlet”, pensei que não seria tão difícil, pois seria o meu quinto ano de teatro, até chegar ao momento e ver que nunca tinha aprendido o principal, saber representar!
O teatro nem sempre é o que pensamos, chegar lá e puff, está feito! É preciso imenso trabalho, esforço, paciência e muita paixão! Eu tinha o sonho, e ainda o tenho, mas agora está em lista de espera, de ser actriz, queria mesmo, procurei escolas de teatro, e queria mesmo entrar, até que ao longo do percurso, abri os olhos e vi que nem tinha assim, talvez, tanto jeito, ou o que me falta é mesmo “muito trabalho”. Tentei fazer o que conseguia, dei o que consegui, tive dias bons e dias maus, desilusões e até chorei, mas quando a paixão do teatro nos marca não nos larga! Por isso não desistirei do teatro, apenas continuarei a “formar-me” e quando me sentir preparada logo enfrentarei as grandes provas das escolas de teatro!
Adorei este ano, a professora e os meus colegas, um ano de muito valor para mim, de crescimento e de decisões, um ano que guardarei para sempre no meu coração, e principalmente que poderei contar com a professora para qualquer coisa, e com os colegas, também.
Ou seja, este ano foi bastante produtivo, adorei tudo, os berreiros da professora, as atenções, e a sua incentivação, as macacadas do Jorge que animava a malta, e de todos os outros, os aquecimentos e os ensaios, TUDO.
Beijinhos e muitas saudades.
Margarida Ribeiro

4 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

a miuda que amei conhecer este ano \o/ lalalala este ano pelo menos servi.o pa ganhar uma amiga lalala xP bj adorei o texto

Teresa Henriques disse...

Ontem fui ver a exposição sobre a obra do nosso escritor José Saramago, intitulada "Concretização dos Sonhos", no palácio do Alto da Ajuda,em Lisboa. Ali estavam todos os livros que ele escreveu, romances, contos crónica e, claro, teatro.Todo aquele espólio siginificava a concretização dos sonhos de quem sonhou e continua a sonhar!
Para ti, que sabes sonhar, um abraço,

prof. Teresa

Cláudia Almeida disse...

Olá a todos!
Antes de mais, passo a felicitar o vosso blogue, pois está muito interessante.
De seguida, passo à minha apresentação. Sou uma ex-improviso, pelo que não queria deixar de escrever o meu comentário…
Ao ler todos os posts aqui publicados, fez-me recuar perto de dez anos e a forma como a prof.ª Teresa Henriques marcou a minha e a vida de muitos estudantes da Escola Secundária Tomás Cabreira que estudavam nesta escola na mesma altura que eu.

Falando, neste momento, apenas na primeira pessoa, não posso deixar de elogiar a vocação desta professora, bem como o seu empenho e dedicação à profissão que exerce.

Parece incrível, mas ao fim de dez anos, o nosso grupo de teatro ainda se encontra para um cafezinho. Alguns já com filhotes e outros até já casados. Outros elementos do nosso grupo seguiram um rumo diferente, tendo decidido ir estudar para fora.
As nossas conversas passam por recordar os aventureiros momentos que passámos em conjunto, tais como carregar os cenários no meio do trânsito de cidades pequenas, entre outros, e por dar notícias sobre o nosso quotidianos e a verdade é que parece que temos sempre tanto para contar…!!

Os três anos que estive na Tomás foram dos anos mais marcantes da minha vida, pelos amigos que fiz e pelos momentos que passei junto de pessoas maravilhosas. Já sem deixar de falar nas viagens que fizemos, ao longo do país, para representarmos as nossas peças de teatro. Sempre com sala cheia, é claro!

Agora, um conselho de “gente graúda”, uma vez que já fiz 30 anos, mesmo que não tenhamos tempo para ser actores, pois os ensaios exigem que estejamos presentes muitas vezes, ficam sempre os amigos para a vida. É isso que eu guardo comigo: as recordações e as filmagens das peças de teatro nas quais entrei... Já partilhei, inclusive, alguns desses momentos com amigos meus e familiares, ao longo destes últimos anos.

Por isso, não receiem não ter tempo para estudar ou até para estar com os vossos amigos. Temos tempo para tudo, se o souberem gerir de uma forma eficaz. E é isso que nos faz crescer. Prova destas minhas palavras, é o post que li neste blogue deixado por um actual elemento dos Improviso, onde este mencionou a palavra incentivo.

Fazer teatro com uma encenadora, que eu considero POTENTE em todos os sentidos (jamais esquecerei a sua voz!!!), é algo maravilhoso e enche-nos a vida. Falo na minha pessoa, como disse acima, pois fez-me crescer noutra vertente da minha vida.

Parabéns à excelente professora e encenadora Teresa Henriques e a todos os elementos que pertencem, neste momento, a este grupo de teatro.

Votos de muitas felicidades!

Cláudia Almeida